Para quem pensa cometer um suicídio sem dor, alertamos que o suicida não o fará sem dor, muita dor.

domingo, 23 de maio de 2010

Os filhos tem chance aumentada de cometer suicídio também.

Os filhos cujos pais cometeram suicídio apresentam probabilidade de suicídio duas vezes mais elevada do que a dos filhos cujos pais ainda estão vivos, de acordo com um estudo baseado em dados obtidos na Suécia.




Mas muito depende da idade do filho no momento em que o suicídio do pai ou mãe ocorre. Adolescentes e crianças pequenas são os mais vulneráveis: o risco de suicídio entre eles era três vezes mais elevado caso o suicídio de um pai tenha ocorrido antes que o filho complete 18 anos, de acordo com o estudo, publicado pela revista Journal of the American Academy of Child and Adolescent Psychiatry em sua edição de maio. Se a morte do pai ou mãe por suicídio ocorre quando o filho tem 18 anos ou mais, o risco de suicídio do filho não aumenta.



Os pesquisadores enfatizaram que suicídios continuam a ser um acontecimento raro. "Quando estudamos a proporção de filhos que tentam ou conseguem suicídio, ela continua inferior a 3%", disse a diretora do estudo, Holly Wilcox, professora assistente de psiquiatria no Centro Infantil da Universidade Johns Hopkins. Nos Estados Unidos, entre sete mil e 12 mil crianças com idade inferior a 18 anos perdem um dos pais por suicídio a cada ano.



O estudo se baseia em diversos registros nacionais na Suécia, cobrindo o período de 1969 a 2004. Os 4,3 milhões de filhos que constavam dos bancos de dados nacionais foram divididos da seguinte maneira: 3,8 milhões tinham pais ainda vivos; cerca de meio milhão haviam perdido os pais devido a causas naturais; e 44.397 eram filhos de vítimas de suicídio.